Por que a Gestão da Situação Fiscal é crucial para o sucesso empresarial

A regularidade fiscal, além de ser uma obrigação legal, é imprescindível para garantir a estabilidade do dia a dia empresarial. Através da nossa prestação de serviços – Tutela Fiscal -, oferecemos um acompanhamento períódico e preventivo da situação fiscal (nos âmbitos federal, estadual e municipal), possibilitando a resolução de problemas na esfera administrativa com antecedência, e mantendo sempre atualizadas as diversas certidões negativas de débitos existentes.

Não deixe que a ausência destas certidões impeça a realização de grandes negócios para sua empresa. Entre em contato conosco e saiba como podemos lhe ajudar a gerir esta questão.

Por que a Gestão da Situação Fiscal é crucial para o sucesso empresarial
Evento do IBEF

Evento do IBEF – Reforma Tributária sobre o consumo.

Na última sexta (10/05/2024) marcamos presença no evento do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF), voltado para a discussão sobre o Projeto de Lei Complementar 68, que estabelece os parâmetros de cobrança do IBS e da CBS, tributos que farão o papel do “IVA” na Reforma Tributária brasileira. Nosso objetivo é nos mantermos sempre atualizadas do que vem por aí, a fim de oferecermos um serviço de excelência aos nossos clientes.

Medida Provisória 1.046, de 27/04/2021 - Certificado de Regularidade Fiscal - Caixa Econômica Federal

Medida Provisória 1.046, de 27/04/2021 – Certificado de Regularidade Fiscal – Caixa Econômica Federal

Registramos que a Medida Provisória nº 1.046, de 27/04/2021, além de dispor sobre as medidas trabalhistas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da Covid-19, também consignou, em seu artigo 26, que os prazos dos certificados de regularidade fiscal (“CRF”) expedidos pela Caixa Econômica Federal, e emitidos anteriormente a 28/04/2021, serão prorrogados por 90 (noventa) dias.
Quaisquer dúvidas, estamos à disposição.

Portarias da RFB e PGFN Suspendendo Prazos até 31/07/2020 – Informações

Portarias da RFB e PGFN Suspendem Novamente os Prazos até 31/08/2020 – Informações

Em 31/07/2020 foi publicada a Portaria 4.105/2020, da Receita Federal do Brasil, que alterou novamente a Portaria 543/2020 (de 20/03/2020), para adotar as seguintes medidas:

1) Restringir o atendimento presencial nas unidades da Receita Federal até o dia 31/08/2020, apenas para serviços considerados essenciais, tais como a regularização de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); cópia de documentos relativos à Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF) e à Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf) – beneficiário, parcelamentos e reparcelamentos não disponíveis na internet, dentre outros.

2)A Portaria também prorrogou a suspensão dos prazos para a prática de atos processuais no âmbito da RFB até 31 de agosto de 2020;

3) Por fim, ainda foi suspenso, até 31/08/2020: a) a emissão eletrônica automatizada de aviso de cobrança e intimação para pagamento de tributos; b) notificação de lançamento de malha fiscal da pessoa física; c) procedimento de exclusão de contribuinte de parcelamento por inadimplência de parcelas; d) registro de pendência de regularização no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) motivado por ausência de declaração e) registro de inaptidão no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) motivado por ausência de declaração e f) emissão eletrônica de despachos decisórios com análise de mérito em Pedidos de Restituição, Ressarcimento e Reembolso, e Declarações de Compensação.

Seguindo a mesma linha, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, na mesma data, publicou a Portaria 18.176/2020, prorrogando os seguintes prazos para 31/08/2020:

a) prazo para impugnação e o prazo para recurso de decisão proferida no âmbito do Procedimento Administrativo de Reconhecimento de Responsabilidade – PARR;
b) o prazo para apresentação de manifestação de inconformidade e o prazo para recurso contra a decisão que a apreciar no âmbito do processo de exclusão do Programa Especial de Regularização Tributária – Pert;
c) o prazo para oferta antecipada de garantia em execução fiscal, o prazo apresentação de Pedido de Revisão de Dívida Inscrita – PRDI e o prazo para recurso contra a decisão que o indeferir.

Também estão suspensas, pelo mesmo prazo, as seguintes medidas de cobrança administrativa:

a) apresentação a protesto de certidões de dívida ativa;
b) instauração de novos Procedimentos Administrativos de Reconhecimento de Responsabilidade – PARR.
c) o início de procedimentos de exclusão de contribuintes de parcelamentos administrados pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, cuja hipótese de rescisão por inadimplência de parcelas tenha se configurado a partir do mês de fevereiro de 2020, inclusive.

Por fim, esta Portaria também prorrogou até 31/08/2020 o prazo para adesão à Transação Extraordinária, modalidade que permite o pagamento parcelado de débitos inscritos em Dívida Ativa da União em condições especiais (para maiores informações, estamos à disposição!).

Colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários.

Prorrogação da CND Federal por 30 dias - Portaria Conjunta 1.178, de 13/07/2020

Prorrogação da CND Federal por 30 dias – Portaria Conjunta 1.178, de 13/07/2020

Em 14/07/2020 foi publicada a Portaria Conjunta RFB/PGFN nº 1.178, prorrogando o prazo de validade da Certidão Conjunta de Débitos Relativos à Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (seja ela negativa, ou positiva com efeito de negativa), por 30 dias – para as certidões que estiverem válidas na data de 14/07/2020.

Vale lembrar que a Portaria anterior, nº 555, publicada em 24/03/2020, prorrogava o prazo de validade das certidões, naquela ocasião, por 90 dias. Passado esse tempo, entendemos que esta norma foi editada para prorrogar novamente o prazo em questão.

Trata-se de mais uma medida adotada pelo Governo Federal, visando minimizar os impactos negativos decorrentes da pandemia causada pela Covid-19.

Quaisquer dúvidas, estamos à disposição.

Portarias da RFB e PGFN Suspendendo Prazos até 31/07/2020 – Informações

Portarias da RFB e PGFN Suspendendo Prazos até 31/07/2020 – Informações

Foi publicada a Portaria 1.087/2020, da Receita Federal do Brasil, que alterou a Portaria 543/2020 (de 20/03/2020), para adotar as seguintes medidas:

1) Restringir o atendimento presencial nas unidades da Receita Federal até o dia 31/07/2020, apenas para serviços considerados essenciais, tais como a regularização de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); cópia de documentos relativos à Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF) e à Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf) – beneficiário, parcelamentos e reparcelamentos não disponíveis na internet, dentre outros.

2) A Portaria também prorrogou a suspensão dos prazos para a prática de atos processuais no âmbito da RFB até 31 de julho de 2020;

3) Por fim, ainda foi suspenso, até 31/07/2020: a) a emissão eletrônica automatizada de aviso de cobrança e intimação para pagamento de tributos; b) procedimento de exclusão de contribuinte de parcelamento por inadimplência de parcelas; c) registro de pendência de regularização no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) motivado por ausência de declaração e d) registro de inaptidão no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) motivado por ausência de declaração.

Seguindo a mesma linha, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, também em 01/07/2020, publicou a Portaria 15.413/2020, prorrogando os seguintes prazos para 31/07/2020:

a) prazo para impugnação e o prazo para recurso de decisão proferida no âmbito do Procedimento Administrativo de Reconhecimento de Responsabilidade – PARR, previstos, respectivamente, nos arts. 3º e 6º da Portaria PGFN n. 948, de 15 de setembro de 2017;
b) o prazo para apresentação de manifestação de inconformidade e o prazo para recurso contra a decisão que a apreciar no âmbito do processo de exclusão do Programa Especial de Regularização Tributária – Pert, previstos no art. 18 da Portaria PGFN n. 690, de 29 de junho de 2017;
c) o prazo para oferta antecipada de garantia em execução fiscal, o prazo apresentação de Pedido de Revisão de Dívida Inscrita – PRDI e o prazo para recurso contra a decisão que o indeferir, previstos, respectivamente, no art. 6º, inciso II, e no art. 20 da Portaria PGFN n. 33, de 08 de fevereiro de 2018.

Também estão suspensas, pelo mesmo prazo, as seguintes medidas de cobrança administrativa:

d) apresentação a protesto de certidões de dívida ativa;
e) instauração de novos Procedimentos Administrativos de Reconhecimento de Responsabilidade – PARR.
f) o início de procedimentos de exclusão de contribuintes de parcelamentos administrados pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, cuja hipótese de rescisão por inadimplência de parcelas tenha se configurado a partir do mês de fevereiro de 2020, inclusive.

Colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários